23 de novembro de 2006

A incrível fábrica de estragar músicas

Volta e meia um brasileiro aparece com uma versão 'traduzida' de alguma música pop de sucesso. Eu criei um nome pra isso: dolabelicar. Já explico.

Algumas até que ficam legais. "De música ligeira" do Paralamas, ficou tão boa que acho até que melhoraram a letra original. E os toscos do Capital Inicial também versaram numa gramática fácil cheia de rimas bobocas. Astronauta de mármore do Nenhum de Nós, versão de Starman do David Bowie é a controversa. Eu gosto, mas porque eu sou do sul e de família gaúcha. Não dá pra perdoar o nariz azul mas eu gosto, tá? Me deixa. Vejam vocês como era:
There's a starman waiting in the sky (Há um homem das estrelas esperando no céu)
He'd like to come and meet us (Ele gostaria de vir e encontrar-nos)
But he thinks he'd blow our minds (Mas ele pensa que explodirá nossas mentes)
There's a starman waiting in the sky (Há um homem das estrelas esperando no céu)
He's told us not to blow it (Ele disse para não explodirmos)
Cause he knows it's all worthwhile (Porque ele sabe que tudo vale a pena)
He told me: (Ele disse-me)
Let the children lose it (Deixem as crianças perderem o controle)
Let the children use it (Deixem as crianças aproveitarem)
Let all the children blue again (Deixem todas as crianças tocarem)
E como ficou:
Sempre estar lá
E ver ele voltar
Não era mais o mesmo
Mas estava em seu lugar...
Sempre estar lá
E ver ele voltar
O tolo teme a noite
Como a noite
Vai temer o fogo...
Vou chorar sem medo
Vou lembrar do tempo
De onde eu via o mundo azul...
Mas assim como a coisa que o Capital chamou de música, a grande maioria das versões é péssima, uma adaptação horrível da letra, totalmente fora de contexto. Outras tristezas que me vem rápido na memória são a Sandy e o Júnior copiando o Savage Garden (a música não era boa nem em inglês) e o Dado Dolabella (daí o dodabélica) que versou "Love Vigilantes", do New Ordem, num negócio totalmente sem noção chamado Dado pra você que eu me recuso a linkar aqui. Dá uma olhada na letra original, com tradução. Uma canção sobre voltar da guerra e encontrar a família virou uma música besta sobre um pilantra que larga a mulher pra viajar (hippie?) e uma idiota que ficou esperando. Se você teve o desprazer de ouvir essas coisas que eles chamam de versões, entende.

Então. Hoje, vindo de ônibus para o trabalho escutei outra! Como numa piada interna de uma pessoa só, estava eu lá sozinha no ônibus vindo para o trabalho, perdida nos pensamentos, quando anunciam a música (aqui os ônibus tem rádio e sintonizam as FMs locais) de uns tais Cleiton e Camargo, "Se é amor não sei". Tomo um susto quando começa a introdução: mas é a música do Top Gun! Lembram de Top Gun? Ah, sim, todo mundo que tinha idade pra ver TV nos anos 80 lembra. e lembram de Take my Breath Away? Quem não lembra ou é muito novo para conhecer clica aí pra ver o clipe da música original.

Eu nem lembrava o nome da música, tive que recorrer ao nosso amado Google. A gente tocava nas festinhas pra ver quem tinha coragem de dar o primeiro beijo. Isso faz muito, muito tempo!!! O divertido desse caso específico, além do fato de copiar uma música, o que atesta a falta completa de capacidade do compositor, é que eles ainda me copiam uma música vencida. E olha como ficou a versão sertaneja. E olhem como ficou o refrão! Impalavrável!!!

Se não fosse trágico...

Nenhum comentário:

Postar um comentário