6 de setembro de 2012

Hotel Atlântico, João Gilberto Noll

Comprei na livraria ponta de estoque de Guaratuba, por 3 reais! Praia e livros baratos, como não amar? É da editora Francis, 2004, 110 páginas.

Então esse moço, o narrador-protagonista do livro, está indo. Pra qualquer lugar. Começa se hospedando em um hotel no Rio de Janeiro e fica por uma noite. Então vai à rodoviária e pega um ônibus para Florianópolis, mas não quer ficar ali. Arranja carona num boteco. Acaba perambulando por cidadezinhas na fronteira entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, é acolhido e depois de um tempo vai de novo, para outro hotel e fim.

cenas da adaptação para o cinema
Nesse vai e vai, perambulando, ele encontra muita gente, acontece muita coisa, mas, ao mesmo tempo, não "acontece" nada. Não tem uma história, um meio e fim, um norte. É só a ida. Um livro diferente de quase todos que eu já li. Lembra o ótimo conto "A um passo" da Rosa Amanda Strausz, que eu resenhei aqui. Como o narrador do Hotel Atlântico, a protagonista também vive hora após hora, dia após dia, pessoa após pessoa, sem pensar muito em consequências, riscos. Talvez a liberdade real.


É um livro feito pra nossa época... sem descrições prolongadas, sem detalhes inúteis, sem fluxo de pensamento, sem tédio, sem interrupção nenhuma. Só a vida de uma pessoa que desistiu de se apegar a qualquer coisa. Um minimalista, de certa forma, mas é menos do que isso, porque não é uma "filosofia de vida" ou uma política. Ele só está vivendo. Chegando, fazendo e saindo.


Fica um pouco de angústia, um pouco de tristeza e um desdém pelos próximos passos que humilham um pouco a gente. Se nem ele dá importância para o que vai acontecer, porque continuamos lendo? Pra saber o  passado, a motivação. O que ele quer? O que está acontecendo? Quem é esse cara? E o resto dele, família? Amigos?


Sim, a gente tem a respostas. E eu adorei, mas não posso falar muito do enredo, é um livro curto e tiraria toda a graça.


Provavelmente vocês não vão encontrar tão barato quanto eu achei, mas vale muito a pena. Já está circulando nas estantes do Leitura sem Fronteiras, espero que os próximos leitores gostem!


O livro virou filme dirigido por Suzana Amaral e foi analisado em artigo científico. Mas só o nome do artigo já é spoiler! Nem abram antes de ler o livro!

Venham ler os brasileiros!!! Valem muito a pena!

Quatro estrelinhas. Em cinco.

---
Mais autores brasileiros contemporâneos:

Trechos de "A um passo", Rosa Amanda Strausz
- "O céu dos suicidas" e "O livro dos mandarins", Ricardo Lísias
- Unhas, Paulo Wainberg

Um comentário:

  1. Já vi o nome do Noll em diversos lugares, mas nunca parei e pensei: vou ler. Estou em constante falta com autores brasileiros, e são tantos que até dói de pensar. Um que está na minha lista é o Ricardo Lísias, mas vou ter que esperar pra ver o resultado das eleições para saber meu destino, rsrs. Ficou a curiosidade ;)

    ResponderExcluir