13 de dezembro de 2011

Por que "Os três porquinhos" é tão bom?

Pesquisa informal no IBGE de Pato Branco - 3 em 4 pessoas gostavam muito da história dos três porquinhos quando eram crianças. O Tomás deixa de lado qualquer livro, qualquer filminho, para ler ou assistir seu  preferido. Pro meu pitinim, "ê ibo" ou "tisti" é indiferente, ele ama as duas coisas. Adora assoprar junto com o lobo, bater na porta dos porquinhos e fica meio bolado com queimadura em água quente. "Tenti!" E também tem construção. O bichinho gosta de construir casas e prédios com tudo o que se imagina... vamos tentar fazer de palha também um dia desses, como o pai do Little Bill, que é engenheiro, fez na creche. Tomás devorou o episódio.

Tem milhares de versões por aí, pobre de quem não gosta da história, ela está por toda parte. Uma das mais antigas é a que foi compilada por Joseph Jacobs em 1890, no livro "English Fairy Tales". Nessa versão os dois primeiros porquinhos são comidos e o lobo não só queima o "bubú", como é comido pelo Prático. Nessa primeira história já tem a resposta cantadinha "No, by the hair of my chin chin chin", que eu não conhecia até assistir na "Hora da História" do Nick Jr. Em português ficou "Nem pela minha barbicha icha icha", que eu já incorporei na "leitura" do nosso livrinho. Outra incorporação foi a rima "Vou soprar e soprar e sua casa vai voar" da versão um tanto chupadinha da Disney que o Decidério fez, provavelmente na obrigação, mas que o Tomás adora. Outra versão que parece ser deliciosa é o e-book interativo da Nosy Crow. Dá pra construir as casinhas junto com os porquinhos!!!


A edição que nós temos é da editora Girassol e foi distribuída gratuitamente pelo Instituto Itaú Cultural. Esse ano os livros são bem mais produzidos e ainda dá pra pedir sua coleção. Ela segue um pouco a história original, o lobo come o Heitor e o Cícero. Mas eles são tirados vivos de dentro do lobo que morre na água fervente. Eu prefiro a versão Disney, menos cruel. Conto que eles fogem e os irmãozinhos os abrigam, como se ouvia em casa. O Tomás não tem paciência para ouvir a história lida, fica nervoso, quer chegar logo no "fffffffuuuuuuuuu". Então nós simplificamos bastante a histórinha pra chegar logo na ação.

E por que "Os três porquinhos" é tão amada? Pesquisando sobre a história na internet, eu acabei morrendo de curiosidade com o que a Raquel Plut Ajzemberg disse ter no "Fadas no Divã: psicanálise nas histórias infantis" sobre "Os três porquinhos": é uma história sobre oralidade, sedução por um adulto e função paterna. Aí fui na fonte investigar. Muitas coisas. Primeiro, as crianças sabem que, uma hora, elas também vão ter que sair de casa e se virar sozinhas. E a mamãe não vai cuidar do lobo mau. É a cabeça e o trabalho do próprio porquinho que dá conta de tudo.


E a boca é um dos pontos centrais na vida das crianças. Comer, morder,  beijar, dentes, língua, gengivas. Prazer e dor. Fazer birra e não querer comer e ver a mamãe e o papai morrendo de preocupação. Ver o lobo querendo comer, assoprando e, no final, quem come o lobo é o porquinho. Deu vontade de contar essa versão pro Tomás, ele vai gostar mais ainda da história!

Outra ideia do livro é que o prazer de sentir medo atrai as crianças. O exemplo é o filme da Disney, com o "quem tem medo do lobo mau, lobo mau, lobo mau" que os porquinhos usam pra provocar. Eles atiçam o lobo e fogem. É uma brincadeira de risco, mas é muito divertido. As crianças gostam de sentir medo quando sabem que logo ele vai ser aliviado. E os adultos também, né não? Outra interpretação é mais complicada de explicar... a escolha do lobo como vilão, representando o Mr. Hide do nosso querido e conhecido cãozinho Dr. Jekyll. Tem um paralelo com a história de Robert Louis Stevenson. O lobo representa os adultos que convivem com a criança, os estranhos, sim, mas também os mais chegados. Os adultos podem assustar muito quando perdem o controle... mas infelizmente as criancinhas não podem construir paredes de tijolos e cozinhá-los...

Esse livro é imperdível, e, pra aliviar a culpa do link pirata aí, e caso o livro suma ou seja sumido... Sai por R$ 57,40 na FNAC. E R$ 49,00 em alguns sebos. Acabei achando que "Os três porquinhos" é essencial pros pequeninhos, muitas coisas interessantes escondidas. Mas vem cá, carne de lobo deve ser meio dura e amarga, né não? Sou bem mais um porquinho assado. Bacon...

Novidade: fantoches dos três porquinhos da Sulamericana. Testados e aprovados. Não comprei nesse local, não sei se é bom de entrega... mas se tem em loja de brinquedo em Pato Branco, deve ter em muitos outros lugares. Dá pra procurar sua cidade no site da empresa. Em breve, vídeo com a nossa história!

---
Mais literatura infantil:

Ler é viajar... na idade!
Em frente à nossa casa tem... a caixa de correio!
- Top 10 da Sharon dos melhores livros de literatura infantil

Nenhum comentário:

Postar um comentário