22 de julho de 2012

Lendo para o seu bebê

Ler com seu filho pode ser uma das horas mais divertidas do dia. Leio com o Tomás desde pequeninho e hoje ele já tem livros preferidos. Quando começou a falar ele dizia que queria "tisti" (assistir) os livros, hoje ele já fala "lê" (ler)! Vai puxando o livro que quer e a mãe ou o pai.

1. Olhar figuras também é ler

Os bebês não leem as palavras, as letras, claro. E, inclusive, não é saudável forçá-los a isso. Por enquanto, a mãe lê e o bebê olha, acompanha, brinca, etc. E tudo isso, olhar, acompanhar, brincar, pensar e compreender as imagens do livro, relacionando-as com o que o leitor está falando em voz alta é ler também! É fascinante quando eles começam a perceber a importância do desenho pra "gente humana", representar todas as nossas coisas através de linhas, pontos e cores e o quanto isso pode ser poderoso.

Distração em viagem... com um ano e meio

2. Os bebês gostam de ler, gostam de livros

Se eles tiverem essa oportunidade, eles adoram. Mesmo que não consigam ficar muito tempo focados na história, percebem bem rápido que o livro é para ver e não para comer! Eles adoram compartilhar momentos com os pais. Tem prazer em pensar, em descobrir as imagens, identificar os bichos, plantas e objetos. E, mais tarde, eles vão adorar mostrar para aqueles que ela ama que ela já sabe o que são todos aqueles desenhos. Nesse vídeo, o Tomás tem um ano e um mês. E os livros são mais interessantes que a TV!


3. Ler com os familiares ajuda no vocabulário, memória, imaginação e muito mais!

Os principais benefícios da leitura para o bebê estão relacionadas à aquisição e desenvolvimento da linguagem, do raciocínio, da memória, da criatividade e da imaginação. Nos livros estão as palavras usadas para expressar sentimentos e tarefas do cotidiano e também aquelas que não usamos no dia a dia. Frases formuladas de forma diferente, situações que não são comuns. As narrativas com início, meio e fim, causas e consequências, estimulam a memória e o raciocínio, pois o bebê tem que lembrar o que vem acontecendo nas páginas anteriores e ligar todas essas ações em uma história coesa.

Para ajudar seu bebê a entender a importância da narrativa e da expressão individual, você pode usar um álbum de fotografias da família. Ele pode ser lido também, como um livro de imagens! Nessa foto, minha mãe olhando o álbum do aniversário de um ano do Tomás, poucos dias depois da festa:


Ver fotos com a vovó é divertido e importante!


3. Não tem hora pra começar, pode ser hoje mesmo!

Comecei a ler com o Tomás, deitada ao lado dele ou com ele no colo, olhando o livro junto, aos quatro meses. Antes disso ele brincava com livrinho de banho e de EVA. No começo não é necessário ler as palavras, somente mostrar as figuras, explicar o que elas são, o que estão fazendo. Mostrar como o livro é bonito e divertido. Você pode ler em voz alta para a criança desde o ventre, se você quiser. Eu tentei, mas me sentia estranha...

Tomás lendo com quatro meses

4. Os melhores livros são os que não machucam e tem imagens simples

Você pode mostrar livros de papel bonitos, mas com cuidado, porque o papel pode machucar a pele sensível dos pequeninhos. Deixe ao alcance dos bebês bem pequenos somente os livros mais macios, de pano e plastico, sempre atóxicos. Eles podem ser levados à boca e não vão machucar o bebê. Como a coleção Banho Divertido da Todo Livro:


O instituto IAB (Alfa e Beto) publica uma série de seis livrinhos, alguns somente de imagens, para crianças pequenas. Eles também publicaram um guia com 600 livros adequados para crianças de até 6 anos. Eles recomendam também os seguintes assuntos para cada idade:




5. Mostre o livro e as figuras antes de ler as palavras, deixe o bebê brincar com ele

Comece mostrando o livro. "Olha que legal! Isso é um livro, tem muitas figuras, vira a página..." e deixe o bebê brincar com ele. Pegue livros com poucas frases e tente ler a história. O IAB tem uma cartilha bem completa para começar a ler com crianças, essas são alguma dicas:
  • Estimule a criança a observar as imagens e, aos poucos, as palavras. 
  • Deixe a criança pensar, falar, perguntar.
  • Deixe a criança pegar no livro e virar as páginas do jeito dela, pegar, soltar, levar à boca, abrir, fechar.
  • Leia exatamente o que está escrito. Esteja preparado para ler e reler os mesmos livros. As crianças levam tempo para aprender e adoram repetições. 
  • Fique atento às reações da criança. Mesmo sem falar, ela dá sinais sobre o que gosta de ver e ouvir. 
Eu sempre gostei de ler com o Tomás ao lado, parece que envolve mais o bichinho...

filhote no ombro, ouvindo história... que delícia!


6. E você? Tem alguma dica? Como é a leitura na sua casa?

Me conte tudo!

---
Veja mais fotos do Tomás lendo esse ano, nas postagens das 52 semanas de bibliofilia.

Links para os sites mencionados nesse post:

- Instituto Alfa e Beto: catálogo 600 livros para ler antes da escola, Coleção Pequenos Leitores e a cartilha Como ler para crianças.


---

Um comentário:

  1. Com certeza este contato é muito importante. Meu pai não era de ler pra gente, preferia contar histórias, mas sempre fez questão de comprar livros, gibis ou o que o dinheiro desse, era sempre uma festa. Já minha mãe sempre leu e sempre cobrou que lêssemos, deu certo com os dois primeiros filhos, já com o caçula...o sujeito não lê nem amarrado, e quando chego em casa com um livro vai logo ironizando: "mais papel!" Mas se a criação foi a mesma, porque os resultados foram diferentes? Acredito que graças ao atrativos da vida moderna. Fui criança no final da década de 80 e comecinho da de 90, não haviam lá grandes atrativos pra se fazer, então ler era sempre uma boa pedida. Hoje em dia ele tem a disposição video-game, internet e afins, numa concorrência quase injusta. Por isso acredito que, cada vez mais, é importante que se cultive nos pequenos o hábito da leitura, para que, quando maior, as distrações não exerçam influência tão grande.

    Comentário ficou enorme! De casa vejo os vídeos ;)

    ResponderExcluir