15 de outubro de 2011

Dia 15 - De bons pagãos o inferno está cheio?

A Tábata, do Happy Batatinha, convida os leitores todo ano pra uma série de postagens sobre literatura. Esse ano, cada dia do mês de outubro tem uma pergunta para inspirar um post. Metade do mês e escolhemos o vilão literário favorito. O mau caráter. O inimigo. O filho duma puta.

Dia 15 – Qual é o seu vilão literário favorito?

Meu vilão não é um. É uma instituição. Formada por pessoas, claro. Mas pessoas que agem em nome dos dogmas, princípios e normas da instituição. Ou que usam o poder dela para acobertar suas sacanagens. Para enriquecer a custa do sofrimento e da fé dos outros. Em nome de uma interpretação específica da vontade de Deus. Meu vilão literário favorito é a Igreja Católica.

Não estou falando dos malucos da Opus Dei do Código da Vinci ou do pretendente a papa do Anjos e Demônios, mas também. Hoje em dia o papa já não tem mais o poder de antigamente. Em todo romance histórico tem um bispo, um padre, um inquisidor possuído pelo dever, pelo poder ou pela ganância acabando com a vida de uma pancada de gente boa. Dá raiva, dá medo e é um bom aviso.

A Catedral do Mar. Ildefonso Falcones

"A Catedral do Mar" foi indicado pelo girino. É a história de um homem que auxilia, e muito, na construção de uma igreja. Só aí já dá pra ver que o catolicismo, como um todo, não é o vilão de toda história, que tem vários vilões em várias partes... Mas é o vilão que mais causa dano e tristeza... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário