26 de outubro de 2011

Google Reader, seja assim, sempre assim...

ó dia! ó azar!

A turma do fundão das redes sociais está chocada. Paralisada. Sofrendo. Como o coração nos dedos. A qualquer hora, a qualquer minuto, o gReader, nossa plataforma política, nossa mesa de chá, nosso bar, nosso sofá de rebeldia, nosso orkut, nosso facebook, nosso twitter, vai morrer. Vai deixar de ser o hall de entrada e se tornar a sala de leitura da nossa biblioteca. Vai perder as funções de compartilhamento, seguir pessoas, procurar amigos. Ah, merda.

Que puxa!
Vi a melhor definição do gReader no Diaspora. "social reading apps". Aplicativo de leitura social. Compartilhamos e comentamos leituras. Lemos juntos as mesmas notícias, blogs, quadrinhos, páginas de humor, vemos vídeos e fotos e ilustrações. Acabamos conhecendo as pessoas melhor do que em outras redes sociais. E outra coisa boa é receber todo esse tipo de coisa, notícias, blogs, quadrinhos, páginas de humor, filtradinhas. É a grande sacada do gReader. Além dos posts dos nossos sites favoritos via assinatura de feed, recebemos a nata do conteúdo internético em um só lugar. Selecionado pelas pessoas que assinam esses feeds. Economiza tempo grande.Um bom tutorial para o usar o gReader atual está aqui. É triste, muito triste, alguém achar que o troço é legal bem agora e querer usar, mas saber que em breve vai mudar tudo.

Querido gReader, esse é meu memorial em sua homenagem. Seis anos de bons serviços prestados. Várias amizades começadas e terminadas, aprendizados consolidados e até meu feminismo são culpa sua, toda sua. E agora, ou logo mais... schuif. Aqui do lado e embaixo, alguns detalhes da minha conta, pra gente não se esquecer desses momentos tão lindos. Tão enriquecedores, tão perfeitos. Começando pelo dia em que nos conhecemos, 22 de setembro de 2006. Desde então eu li 91.786 itens. É pouco. Vários conhecidos zeraram o contador de itens, que vai até 300 mil. Pra ver como tem gente viciada no troço.

Uso as tags como um filtro de posts. Quando eles chegam já vão pra uma dessas pastas: Blogs, Feminismo, Filhos, Humor ou Notícias. Depois eu coloco "Desejados" pra coisas que eu quero ter ou comprar ou ler de novo ou "Tomás" quando é uma coisa pro... Tomás.

Os 20 sites que eu mais leio:

Fuck Yeah, Tattoos!, PublishNews, Melhor do Twitter,
Fuck Yeah Moleskines, classe média sofre, Hello Zombie!,
Capinaremos, Ateu e À-toa, Livros e afins, Mamatraca, PatoNauta,
Agência Patrícia Galvão, Mulher 7 por 7, piauí rapidinhas,
sei lá como se escreve, Comer para Crescer, Happy Batatinha,
Coruja, Notícias da Câmara de Pato Branco, Vida de Programador



E os 20 sites que eu mais compartilho. Pro pessoal ver que não é só pro leitor que o gReader é legal, mas pro site também. Porque eu leio e compartilho o que gosto, aí meu pessoal lê também. É chato pra alguns sites que os comentários fiquem restritos aos meus seguidores do reader, e não públicos, mas quem tem conta no gReader pode me seguir e ver a repercussão, quando houver. Mesmo assim, eu tento dar uma comentadinha quando o post é bom demais.

Livros e afins, Capinaremos, Fuck Yeah, Tattoos!, Mulher 7 por 7,
PublishNews, Comer pra Crescer, Pais Modernos, Um Sábado Qualquer,
Super Duper, Cia das Letras, Mãe Polvo,  Fuck Yeah Moleskines,
Game of Thrones BR, libraries in pop culture, Sei la como se escreve,
Bibliophile, Malvados, Blogueiras Feministas, book lovers

Eu sou a feliz e única assinante de 6 blogs! Não sei se essa estatística se refere ao feed como um todo ou se ao gReader... Recomendo o Cafife Total, tirinhas sobre o cotidiano de Pato Branco, do Lucas Piaceski.

Cafife Total, Cami Arte, Escola Virtual para Pais, Guto Silva,
Lounge, Amassador de Papinha, Luiz Henrique Dias,
Mamatraca, o leitor comum, sujeitoHomem.

E essa foi minha despedida do gReader enquanto "sala de leitura onde é permitido barulho". Pessoal está planejando voltar em peso pras listas de discussão. Não esqueçam da shérinhóm, vou junto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário