15 de outubro de 2012

O preço do livro infantil no Brasil - parte 3: livro comprado na esquina!

No meu mundo ideal, toda criança cresceria rodeada de livros. Infelizmente, livro bom e bonito ainda tá muito caro.

Mas mesmo quem não tem dinheiro pra comprar pode ter contato com livros de qualidade pelo Itaú Social, por exemplo. A coleção está disponível novamente! A gente que tem internet fica com a tarefa de ajudar as mães offline a solicitar os livrinhos.

Mas tem livro barato por aí. Nem precisa procurar muito, eles caem no nosso colo! A gente esbarra o selo Brasileitura, da editora Todolivro, em toda esquina por aqui, nos cafundós do Paraná, então deve ter em muitos outros cantinhos do país também. Tem em camelô, os vendedores vem vender nas casas, nas empresas, todo mercado e loja de brinquedos tem. E é barato. Por menos de 15 reais você pode comprar 8 livrinhos ou um kit com livrão, quebra-cabeça, jogo da memória e DVD.



Kit livrão "Vida na fazenda".

A qualidade da história é mediana. Não tem erros gritantes e tem um começo, meio e fim. As ilustrações  são bem feitinhas e interessantes, bonitas mesmo. Vem com quebra-cabeça que vira joguinho (e estrada para hot weels) e jogo da memória. Os vídeos do DVD foram ótimos quando o Tomás ficou internado, assistíamos no repeat ao infinito. Então, valeu a pena.

Mas pra mim, o texto mesmo parece redação de criança na quarta série, não tem surpresa, reviravolta, clímax... é muito mastigadinho... chato. Olhem só. Clicando na imagem dá pra ler o texto.


É bonitinho!
Kit "Carros: uma aventura em alta velocidade"


Agora, piora um pouco. Acho que o da fazenda ficou melhor porque foi feito do zero. Toda criança adora fazenda e, realmente, o assunto é inesgotável. Quem cresceu em sítio sabe o quanto é divertido. Então, que nessa coleção, eles obviamente quiseram aproveitar a onda do "Carros", da Disney. Mas ficou bem chatinho. Tem umas liçõezinhas de morais bobonas em cada livro. Olha só.

e esses pais transformers? não gostei não...
Essa é a história "Soberba que vira fumaça" da coleção , de Roberto Belli.
"Tião Fumaça era muito exibido. Arrancava sempre na frente e soltava muita fumaça.
Tião Fumaça pedia tudo para os seus pais, que se esforçavam para fazer suas vontades!
Tudo que era bonito e colorido ele queria, só para esnobar os coleguinhas.
No colégio, era muito falador. Dizia que tudo que era seu era melhor que o dos outros.
- As minhas rodas de liga leve correm no asfalto e no deserto! São as melhores!
Nos grupos de amigos, então, ele dizia que conquistava qualquer garota!
- Mas troque esse motor que está poluindo o ar, Tião Fumaça!, disse-lhe, um dia, Ana Veloz. E todos riram.
Desse dia em diante, Tião Fumaça aprendeu que se deve respeitar antes para ser respeitado depois!"
E... crianças na faixa etária que vão ler esses livrinhos, estão na primeira série... conquistar garotas? Levar um olé da coleguinha? Não é muito apropriado, eu acho. E as ilustrações são um pouco estranhas. Os pais do Tião são transformers, acho, mas não tem nada explicando isso, achei estranhíssimo. Porque o pai de outra historinha é um carro.

ou melhor, o pai é o McQueen.
Um transformer voador também aparece em uma ilustração de outra historinha, do nada... a gente só entende quando assiste o DVD. É um dos carros de resgate, que faz patrulha aérea lá no mundo dos carros. Mas ficou totalmente fora de contexto no livrinho. As historinhas do DVD são idênticas às dos livrinhos... é bom para quem está começando a ler acompanhar!


Concluindo

Dá pra comprar. Não é a melhor coisa do mundo, mas a gente inventa a história e o que eles gostam mesmo é ver as ilustrações, brincar com o livro. Fuçar num livro de papel e aprender a virar a página e a tratá-lo bem. Mas fica devendo como literatura.

---
Série "O preço do livro infantil no Brasil":

- Parte 1: Livro é caro!
- Parte 2: Bons e baratos - editora FTD

Mais livros infantis aqui.

Um comentário:

  1. Sharon, alguém me salve dessa coleção "Carros", meu primo a comprou numa feira do livro que teve aqui e por muito tempo vinha todas as tardes assistir aqui em casa e eu estava de férias. Acho que prende as crianças (ele tinha uns 4 ou 5 anos), mas maltrata os adultos que tem de assistir junto.

    O da fazenda parece mais simpático,e estes kits são mesmo uma mão na roda, custam pouco e entretem os pequenos.

    ResponderExcluir